Em 12/10/2019 às 19h18

Válber Lessa critica FERJ por não liberar estádios sem laudos: "Poderia rever isso"

Treinador não entende jogos no Joaquim Flores e não em outras praças


Autor: Renan Mafra / Foto: Arquivo Pessoal

A Série C do Campeonato Carioca estava prevista para começar dia 31 de agosto, mas só começou no último dia seis de outubro, após dois adiamentos. O motivo da demora foi o fato de que alguns clubes indicaram estádios que não estavam liberados para a entrada de torcedores, algo que foi permitido na Quartona nos anos anteriores. As agremiações foram contra a nova imposição da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro na quarta divisão, algo que já era feito nas divisões superiores.

A situação gerou a revolta de Válber Lessa, treinador do Ceres. O comandante do Alviceleste cobrou a federação o fato de clubes tradicionais não poder jogar nas suas casas, e muitos jogos acontecerem no Estádio Joaquim de Almeida Flores que, segundo ele, não demonstra segurança, mesmo tendo todos os laudos técnicos necessários para a realização de jogos.

- Eu queria entender o que a Federação do Rio de Janeiro está fazendo com alguns clubes, clubes de tradição como São Cristóvão, Campo Grande, Paduano e o próprio Ceres. Nos tirar da nossa casa para jogar no Joaquim Flores, com todo respeito, um campo cercado por grades. O estádio do Campo Grande tem capacidade para 20, 25 mil pessoas. Um clube que já foi campeão brasileiro e não pode jogar na sua casa. Quais os critérios para São Cristóvão, Campo Grande, Paduano e Ceres não poderem jogar nas suas casas e poder ter jogo no Joaquim Flores? Qual a segurança que tem lá? - disse o técnico, que prosseguiu.

- O São Cristóvão reformou o campo todo. Está um tapete. Isso valorizaria a competição. O estádio do Paduano é maravilhoso. Mas ele tem que jogar em Cardoso Moreira. Eu vi America e Nova Cidade, e o Joaquim Flores estava entupido. Qual a segurança que os torcedores tinham. Se sai uma confusão, onde seria a saída de emergência. Acho que a federação poderia rever isso.

Por fim, Válber Lessa pediu que a Ferj revisse esse conceito, acredita que a decisão está prejudicando o futebol carioca e tratou a escolha da federação como uma covardia.  

- Eu peço que a federação revisse isso, pois está matando o futebol carioca. Estão tirando o direito dos clubes jogarem nas suas casas. É uma covardia. Colocar o jogo num campo bom, a história muda. Não estou falando que o Ceres vai ser um espetáculo. Mas jogar nos seus domínios é diferente. Treinamos no nosso campo a semana toda. Conhecemos nossa casa. Aí o jogo vai para um campo neutro. Na minha opinião, isso não tem nada haver. É um absurdo - ressaltou.

Não podendo jogar no Estádio João Francisco, o Ceres segue mandando seus compromissos no Joaquim de Almeida Flores. O próximo compromisso do Alviceleste será contra o CAAC Brasil, na segunda-feira (14), às 10h. O Placar FutRio acompanha em tempo real.

Tags: Ceres

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por