Em 03/12/2018 às 14 h27

Paulinho lamenta paralisação da Série B2 e relaciona queda à falta de ritmo

Em fala carregada de sentimento, jogador criticou organização da Terceirona


Autor: Redação FutRio / Foto: Gabriel Farias (FutRio)

Destaque do Maricá em 2018, o meia Paulinho Fernandes não segurou as lágrimas após ver o sonho do acesso à Segundona chegar ao fim. Mesmo vencendo o Campos 1 a 0 na volta, a derrota por 2 a 0 na ida pesou de maneira decisiva. Em fala carregada de emoção, o camisa 10 do time comandado por Sorato afirmou que a paralisação da Terceirona foi determinante para o desfecho negativo.

- Ficamos dois meses parados. O Campos também ficou um período parado, mas tinha jogado partidas oficiais. A gente ficou dois meses e meio parados e eles apenas um mês. Isso conta bastante. A gente perde ritmo de jogo, perde atletas por questões contratuais. Complicado. A Federação que tem a estrutura que a FERJ tem, deixar isso acontecer. Prejudicou nosso time para caramba. Não conseguimos imprimir nosso ritmo pela falta de ritmo - contou.

VEJA TAMBÉM:
Maricá tem mais posse de bola, mas não consegue furar bloqueio do Campos
Sorato lamenta perda do acesso, mas parabeniza diretoria e elenco do Maricá
Maricá perde força durante pausa e vê sonho chegar ao fim dentro de campo

O Maricá ficou cerca de 75 dias sem atuar por conta da suposta escalação irregular do atacante Felipe Zuca. Mesmo com a possibilidade da devolução dos pontos perdidos, a Federação seguiu com a competição após ordem do STJD. O Tribunal, em última instância, decidiu por restituir a pontuação e recolocar o Maricá no certame, voltando com as semifinais gerais.

O imbróglio recebeu críticas de todos os lados. O Campos reclamou o acesso revogado, conquistado no gramado diante do Queimados. Já os maricaenses contestaram o prosseguimento da competição, mesmo com o caso no tribunal em aberto, o que tirou o ritmo de jogo, algo que ficou evidente, principalmente na semifinal de ida. Paulinho pediu evolução do futebol carioca nas próximas temporadas.

- Complicado. O futebol carioca tem que mudar muita coisa em relação a tudo. À estrutura, a campo, em termos de competição. Isso não deveria ter acontecido, a paralisação do campeonato. Acabou prejudicando a nossa equipe. Por tudo que a gente vinha fazendo durante o campeonato. Então, assim, quando foge do controle, quando foge da força dos jogadores dentro de campo, fica complicado. A gente fica a mercê da parte juridica, e isso prejudica - completou.

O Maricá, agora, volta a campo somente na temporada de 2019, ainda na Terceirona do futebol do Rio de Janeiro.

Tags: Paulinho Fernandes; Maricá

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por