Em 31/03/2018 às 15 h00

Carioca de 2018 pode ter segunda pior marca de um artilheiro da história

Pedro, com 7 gols, tem apenas um a mais que Flávio Ramos, goleador de 1907


Autor: Léo Pinheiro / Fotos: Lucas Merçom (FFC), Vitor Silva (SSPress), Paulo Fernandes (CRVG)

Os atacantes deixaram a desejar no Carioca desse ano e esta edição de Estadual pode ter a segunda pior marca de um goleador na história da competição. Caso a disputa se encerre desta maneira, Pedro, atual artilheiro e já eliminado do certame, só terá superado Flávio Ramos, do Botafogo, no Campeonato Carioca de 1907, que fez seis gols, naquele que foi o segundo Cariocão. A contagem do camisa 32 do Fluminense seria igual a de outro Tricolor: James Calvert, no Estadual de 1911.

A pesquisa se baseia nos números apontados pelo portal Campeões do Futebol, cruzando com os dados levantados feito por Mauro Prais, no site NetVasco. Nos últimos 20 anos, o artilheiro do Estadual com a menor contagem de gols foi Dodô, do Botafogo, que anotou nove, no ano de 2006, quando o próprio Alvinegro se sagrou campeão do Campeonato Carioca. Para se tornar o goleador do campeonato do Rio de Janeiro, um jogador tem que girar próximo a marca de 11.7 gols, segundo a média das últimas dez edições do certame.

Além de Dodô, na história contemporânea do Estadual, nomes como Wellington Paulista, Maicosuel, Vagner Love, Fred, Alecsandro, Hernane e Guerrero terminaram a competição com o posto de artilherio do Campeonato. As "surpresas" dos últimos anos foram Marcelo, pelo Madureira, Somália e Frontini, pelo Boavista, e, mais recentemente, Tiago Amaral, pelo Volta Redonda. Os atletas colocaram o nome na seleta lista, que contam com personagens marcantes da história do futebol nacional, como Zico, Túlio, Roberto Dinamite, entre outros.

Brenner e Andrés Ríos ainda podem alterar panorama

O artilheiro momentâneo já não tem mais chances de melhorar a marca. Pedro saiu da competição ao ser eliminado pelo Vasco, neste último meio de semana. O mesmo panorama se repete com Marcos Júnior e Pipico, que também não entram em campo e somam seis gols. A chance de "salvar" a edição de 2018 para os goleadores está nos pés de Brenner e Andrés Rios, jogadores que têm mais gols nas equipes que disputam a final nos próximos fins de semana.

image

A dupla anota, respectivamente, cinco e quatro gols e ambos precisam comer a bola para ultrapassar Pedro e salvar o histórico desta edição de Campeonato Carioca, já que o histórico dos dois nesse Carioca não é favorável para que o cenário aconteça.

Brenner tem mais gols e esteve mais minutos em campo. Nesta edição de Estadual o atacante alvinegro esteve no gramado por 867 minutos, marcando cinco tentos. Logo, estatisticamente, ele precisaria de 174 minutos para balançar as redes adversárias novamente. Andrés Ríos tem uma média parecida em relação ao adversário. Até o momento foram 634 minutos em campo com quatro gols anotados. Neste cenário, ele precisaria de 158 minutos para fazer um gol.

Confira a lista completa de artilheiros do Campeonato Carioca*:

1906 - Horácio Costa (Flu) - 18
1907 - Flávio Ramos (Bota) - 6
1908 - Emílio Etchegaray (Flu) e Edwin Cox (Flu) - 13
1909 - Flávio Ramos (Bota) - 16
1910 - Abelardo Delamare (Bota) - 22
1911 - James Calvert (Flu) - 7
1912 - Henry Robinson (Paysandu) - LMSA  - 24 (1)
           Mimi Sodré (Bota) - AFRJ - 12
1913 - Mimi Sodré (Bota) - 13
1914 - Ojeda (America), Riemer (Fla) e Welfare (Flu) - 9
1915 - Welfare (Flu) - 19
1916 - Aluízio (Bota) - 12
1917 - Luís Menezes (Bota) - 16
1918 - Luís Menezes (Bota) - 21
1919 - Brás de Oliveira (São Cristóvão) - 24
1920 - Arlindo (Bota) e Claudionor (Bangu) - 17
1921 - Nonô (Fla) - 11
1922 - Pastor (Bangu) - 10
1923 - Nonô (Fla) - 17
1924 - Nilo (Flu) - AMEA - 28
           Telê (Andaraí) - LMDT - 16
1925 - Nonô (Fla) - 27
1926 - Vicente (São Cristóvão) - 25
1927 - Nilo (Bota) - 30
1928- Vicente (São Cristóvão) e Telê (Andaraí) - 20
1929 - Russinho (Vasco) e Telê (América) - 23
1930 - Preguinho (Flu) e Ladislau (Bangu) - 20
1931 - Russinho (Vasco) - 17
1932 - Preguinho (Flu) - 21
1933 - Nilo (Bota) - AMEA - 19
           Tião (Bangu) - LCF - 13
1934 - Bianco (Andaraí) - AMEA - 13
           Alfredinho (Fla) - LCF - 10
1935 - Ladislau (Bangu) - FMD - 18
           China (Bonsucesso) - LCF - 16
1936 - Carvalho Leite (Bota) - FMD - 15
            Hércules (Flu) - LCF - 23
1937 - Niginho (Vasco) - 25
1938 - Carvalho Leite (Bota) e Leônidas (Fla) - 16
1939 - Carvalho Leite (Bota) - 22
1940 - Leônidas (Fla) - 30
1941 - Pirilo (Fla) - 39
1942 - Heleno (Bota) - 28
1943 - João Pinto (São Cristóvão) - 26
1944 - Geraldino (Canto do Rio) - 19
1945 - Lelé (Vasco) - 13
1946 - Rodrigues (Flu) - 28
1947 - Dimas (Vasco) - 18
1948 - Orlando (Flu) e Otávio (Bota) - 21
1949 - Ademir (Vasco) - 31
1950 - Ademir (Vasco) - 25
1951 - Carlyle (Flu) - 23
1952 - Menezes (Bangu) e Zizinho (Bangu) - 19
1953 - Benítez (Fla) - 22
1954 - Dino da Costa (Bota) - 24
1955 - Paulinho (Fla) - 23
1956 - Valdo (Flu) - 22
1957 - Paulinho Valentim (Bota) - 22
1958 - Quarentinha (Bota) - 20
1959 - Quarentinha (Bota) - 25
1960 - Quarentinha (Bota) - 25
1961 - Amarildo (Bota) - 18
1962 - Saulzinho (Vasco) - 18
1963 - Bianchini (Bangu) - 18
1964 - Amoroso (Flu) - 19
1965 - Amoroso (Flu) - 10
1966 - Paulo Borges (Bangu) - 16
1967 - Paulo Borges (Bangu) - 13
1968 - Roberto (Bota) - 13
1969 - Flávio (Flu) - 15
1970 - Flávio (Flu) - 18
1971 - Paulo César (Bota) - 11
1972 - Doval (Fla) - 16
1973 - Dario (Fla) - 15
1974 - Luisinho (America)- 20
1975 - Zico (Fla) - 30
1976 - Doval (Flu) - 20
1977 - Zico (Fla) - 27
1978 - Cláudio Adão (Fla), Roberto (Vasco) e Zico (Fla) - 19
1979 - Camp. Especial: Zico (Fla) - 26
            Zico (Fla) - 34
1980 - Cláudio Adão (Flu) - 20
1981 - Roberto (Vasco) - 31
1982 - Zico (Fla)- 21
1983 - Luisinho (America) - 22
1984 - Baltazar (Bota) e Cláudio Adão (Bangu) - 12
1985 - Roberto (Vasco) - 12
1986 - Romário (Vasco) - 20
1987 - Romário (Vasco) - 16
1988 - Bebeto (Fla) - 17
1989 - Bebeto (Fla) - 18
1990 - Gaúcho (Fla) - 14
1991 - Gaúcho (Fla) - 17
1992 - Ézio (Flu) - 15
1993 - Valdir (Vasco) -  19
1994 - Charles (Fla) e Túlio (Bota) - 14
1995 - Túlio (Bota)  - 27
1996 - Romário (Fla) - 26
1997 - Romário (Fla) - 18
1998 - Romário (Fla) - 10
1999 - Romário (Fla) - 16
2000 - Romário (Vasco) - 19
2001 - Edílson (Fla) - 16
2002 - Fábio (Volta Redonda) - 16
2003 - Fábio Bala (Flu)- 10
2004 - Valdir (Vasco) - 14
2005 - Túlio (Volta Redonda)- 12
2006 - Dodô (Bota)- 9
2007 - Dodô (Bota) e Marcelo (Madureira) - 13
2008 - Wellington Paulista (Bota)- 14
2009 - Maicosuel (Bota) - 12
2010 - Vagner Love (Fla) - 15
2011 - Fred (Flu) e Frontini (Boavista) - 10
2012 - Alecsandro (Vasco) e Somália (Boavista) - 12
2013 - Hernane (Fla) - 12
2014 - Edmilson (Vasco) - 11
2015 - Fred (Flu) - 11
2016 - Tiago Amaral (Volta Redonda) - 10
2017 - Guerrero (Flamengo) - 10

*Até a década de 30, por divergência dos clubes, em determinados anos, mais de uma entidade organizou o campeonato. Foram elas a AMEA (Associação Metropolitana de Esportes Athleticos), a FMD (Federação Metropolitana de Desportos), a LCF (Liga Carioca de Futebol), a LMDT (Liga Metropolitana de Desportos Terrestres) e a LMSA (Liga Metropolitana de Sports Athleticos).

Tags: Carioca; Artilheiros; Brenner; Andrés Ríos; Pedro;

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por