Em 13/09/2017 às 09 h34

Nem o sobrepeso impede Yan de ser fundamental ao Miguel Couto em vitória

Em alta no Tricolor, atacante considerou sua atuação uma vitória pessoal


Autor: Gabriel Andrezo / Fotos: Gabriel Andrezo (FutRio)

Não se engane: aquele camisa 11 do Miguel Couto está, sim, onde deveria estar e sabe muito bem o que está fazendo. Contra o Campo Grande, pela Série C do Carioca, o estreante Yan supera muito mais adversários do que todos os outros 21 jogadores em campo. O físico, digamos, mais "avantajado" do atacante é o principal, além da marcação implacável dos zagueiros, o forte calor de 10 da manhã em Mesquita e os gritos menos gentis vindos da arquibancada. Quem o vê, até duvida do que o jogador é capaz. Mas é sobre essa desconfiança que ele procura mostrar que tem muito a provar.

Titular do Miguelão pela primeira vez, após ficar alguns jogos no banco de reservas, ele não balançou as redes, mas teve papel importante no jogo do último domingo (10). Se foi bem marcado no primeiro tempo e teve atuação mais apagada, voltou com tudo após o intervalo, quase marcou um gol e participou do lance da grande virada de seu time, cabeceando bola que foi defendida por Carlos Magno e recolhida para que Hudson anotasse o lance decisivo nos 3 a 2 do clube de Nova Iguaçu. Se alguém duvidava do que seu físico poderia permitir, Yan riu por último no fim.

O atacante é o xodó do grupo do Miguel Couto. Aos 23 anos, ele é cria da base do próprio clube, onde jogou ao lado de nomes como o volante André, o meia Arnaldo e o atacante Pablo, vice-campeões da Terceirona de 2013 pelo time. Nos últimos anos, ele não teve oportunidades no futebol profissional e se aventurou em equipes amadoras da Baixada. Quando a oportunidade pintou no time, no começo do ano, ele agarrou com tudo. E acabou saindo como o grande ganhador do fim de semana, numa atuação que lhe dá muita moral junto aos companheiros e à comissão técnica.

– Com certeza, foi uma vitória pessoal. O bom trabalho do professor Batista na preparação física me fez suportar tranquilamente os 90 minutos. E aí foi possível entrar e ajudar o time a conquistar esse bom resultado. Foi um jogo muito difícil porque o Campo Grande veio bem postado, um time que marca bem e com ataque rápido. Mas pudemos sair com a vitória e voltar a ganhar, o que é mais importante. Agora é contra o Tomazinho, outro jogo complicado. Se não der para conquistar os três pontos, pelo menos unzinho já nos ajuda – diz Yan, ao FutRio.net.

E a entrada de Yan no jogo não foi uma circustância de emergência. O técnico Álvaro Santos admitiu que já queria contar com o jogador neste duelo, mas que dependia de um importante trabalho físico sobre ele. O peso visivelmente acima do ideal era uma preocupação, mas o treinador confiou no jogador e elogiou sua insistência em tentar buscar as melhores condições físicas possíveis para estar em campo. A verdade é que ele não precisou ser substituído e resistiu bem a toda a partida, mesmo sob forte calor.

image

– O Yan, na minha concepção, foi uma peça fundamental para nós durante esse jogo. Ele tem vindo em vários jogos e ficado no banco, não tem jogado. Mas nessa semana eu preparei a equipe pensando em colocá-lo em campo. Porque eu disse ao Yan que ele que seria importantíssimo à equipe. E ele realmente foi muito bem, é um jogador de alta qualidade que tem a dificuldade do sobrepeso, mas que a gente vem trabalhando isso sobre ele. É um cara que, na sua própria consciência, vem se cuidando e trabalhando para ser agraciado com um grande jogo, como foi este – afirmou Álvaro.

Yan é tão querido que até os amigos vieram assisti-lo. Teve quem saísse de São Cristóvão e atravessasse a cidade de trem apenas para acompanhar seu jogo, no Louzadão, em Mesquita. E foi justamente na imposição física que o jogador não só quase marcou seu gol, mas abriu caminho para Hudson anotá-lo. Yan reconheceu que a característica é algo que ele procura utilizar sempre, mas nega, bem humorado, que os zagueiros tenham "perda total" em alguma eventual trombada com ele:

– Não tem nada disso, não (risos). É só a gente saber fazer o que sabe de melhor que é usar o corpo. Graças a Deus, pude contribuir. Estávamos passando por um momento ruim, com algumas derrotas. Foi importante ganhar.

Com Yan em grande fase, o Miguel Couto joga contra o 7 de Abril, no próximo domingo, em Xerém.

Tags: Miguel Couto

Outras Notícias

Encontre-nos no Facebook






As informações deste site são constantemente atualizadas pelo FutRio. Ressaltamos que o FutRio reserva-se ao direito de alterar qualquer informação do site, valores e demais informações, sem aviso prévio.

© Copyright FutRio - Todos os direitos reservados.

desenvolvido por